Desperte o mundo que existe dentro de você!
02/10/2016
Lá no fundo de nós, não gostamos de ser violentos!
17/11/2016

A Arte de Pensar a Solução

Que movimentos espirituais você se dispõe a fazer por si mesmo para trilhar o Caminho da sua Vida?

A Constelação Sistêmica Familiar não é uma terapia, mas é um método tremendamente terapêutico que lida com o campo energético que cada um de nós traz do seu sistema familiar. Trazemos memórias sutis e energéticas armazenadas nas memórias de nossas células, cérebro, sistemas, nosso DNA, nosso campo magnético, que contam muitas histórias do nosso sistema familiar e de nossos ancestrais.

A Constelação Familiar tem como movimentos básicos:

  • Um olhar para a solução.
  • Um movimento de gratidão em direção aos nossos pais.
  • Um olhar direcionado para nosso destino.

Vamos olhar para cada um desses itens separadamente, depois, então, vamos uni-los.

 

A ARTE DE PENSAR A SOLUÇÃO

Direcionar a mente, ou seja, os pensamentos e emoções para a solução é uma instrução que a nossa mente racional precisa aprender. No geral as pessoas se identificam com as emoções e os pensamentos. Lembra quando você viu alguém com raiva em algum momento de sua vida, a pessoa se transfigura, absorve a raiva para dentro e se torna a própria figura da raiva, não tem controle, o raciocínio não funciona, ela é puramente a emoção à flor da pele.

Quando conseguimos o entendimento desses movimentos por um caminho diferente da nossa mente racional ou nosso ego, entendemos sobre muitas coisas essenciais à nossa vida. O caminho para esse entendimento já está dentro de nós, pois trazemos todas as memórias do sistema em nós, as perguntas, os conflitos, mas também os talentos, as potencialidades e as respostas adequadas a realidade tão curativa, mas é preciso acalmar a mente para perceber a realidade além do racional, além do emocional, além do físico, além da dor e do sofrimento. Dor é dor, você é algo diferente da dor. A dor está passando por você, mas se você se identifica, torna-se ela própria.

Entender com a Alma, ou com Coração, não é a mesma coisa que entendermos esse movimento com o pensamento e o raciocínio.

Em nossa cultura, acreditamos muito em nossa mente racional, ela é muito importante, porém ela é tremendamente interpretativa. Nossa mente interpreta a vida, mas nós precisamos viver a vida. E é claro que a nossa mente é muitíssimo importante, mas é uma ferramenta que não precisa ser usada a todo o instante, ela pode calar e nos permitir sentir de um outro ponto, de um outro espaço interno, e sem interpretação ou expectativa. Se você treina e pratica, isso se torna realidade pela experiência e vivência.

A nossa mente racional é importantíssima, mas ela não resolve tudo. Se a nossa mente racional resolvesse todos os nossos problemas, você não acha que já teríamos resolvido todos eles?

Vou te desafiar a um exercício…

Que tal quebrar um padrão na sua mente e o próximo problema que se apresentar, você recebê-lo como bem-vindo, abraçá-lo e olhar para ele com entusiasmo e sem julgá-lo ou emitir opiniões, dar um lugar para a solução?
Talvez só de ler esse desafio, sua cabeça de um nó, mas resista e faça essa experiência, de olhar para o problema do tamanho que ele for, ter fé e certeza da solução.

Numa escritura sagrada, tem uma máxima que diz “o problema não está dentro de você, o problema não está fora de você, o problema é você, portanto a solução é você!”

A forma como olhamos para as situações vai provocar reações dentro de nós. O nosso cérebro reage à nossa visão e ao que pensamos. Passar a olhar as situações como desafios, ao invés de olhá-las como problemas, trará uma mudança substancial a sua vida.

 

PERCEBER A VIDA COMO UM FLUXO

O segundo movimento das Constelações Familiares é um movimento de gratidão em direção aos nossos pais.
Nós somos tão íntimos de nossos pais e há tanto tempo que é preciso tempo para percebermos que eles também são pessoas naturalmente normais como qualquer homem ou mulher. Mas esse tempo é um tempo de maturidade emocional e espiritual. É um tempo quando já damos lugar para uma certa sabedoria.

Eles, os nossos pais, nos deram o mais essencial, que é a Vida! Trouxeram as experiências físicas, emocionais, mentais e espirituais perfeitas para o nosso desenvolvimento como Ser.

Passamos por várias fases de entendimentos: alguns caminhos, alguns atalhos! Em alguns momentos nos sentimos bastante devedores por isso, em outros casos até culpados, e também sabemos que não tem preço que pague os anos de dedicação de nossos pais, dentro da performance que eles conseguiram. Mas houve as feridas da infância até a fase adulta, e com as experiências bizarras, nosso cérebro e nós, nos identificamos e muitas vezes paralisamos lá atrás na postura de vítima.
Marcamos compasso nesse processo, nos bloqueamos e até esquecemos do presentão…a Vida. Perdemos muito tempo, às vezes, até nublamos nossos mais potentes sonhos, em relação aos planos de ter uma vida própria. Temos a vida e não vivenciamos, não desfrutamos, às vezes nos distanciamos tanto de nosso destino, do nosso próprio caminho, que perdemos a conexão com tantas coisas e nos sentimos perdidos ou vazios!

Quando temos a oportunidade de fazer um movimento de novamente nos conectarmos com o fluxo da vida, abrindo um espaço no coração, na alma, para darmos um lugar a nossos pais e hierarquicamente nos sentimos menores que eles. É inegável a realidade, e ela diz que somos 50% de cada um de nossos pais, se negamos algum deles, ou os dois, é como matar parte de nós. Ao tomarmos nossos pais em nossos corações outra vez, com honra e humildade, deixarmos o que é deles com eles, com confiança, e recebermos as bênçãos, tomamos nosso destino, também a nossa vida outra vez, e iniciamos um processo de nos sentimos novamente inteiros e preenchidos.

A palavra então passa a ser gratidão! E a fluidez vem em seguida, abrindo um novo olhar, abrindo caminho para o próximo passo.

 

PISAR NO CAMINHO QUE TE PERTENCE TRILHAR

Nas Constelações, vemos constantemente que muitas vezes não estamos direcionados para o próprio destino, porque estamos parados no tempo ou seguindo o destino de outros. Os movimentos que nos levam a atalhos que nos tiram do nosso caminho são vistos como um movimento por amor, mas um amor que adoece, uma vez que nos tira de nossa própria realidade.

Na estrada da sua vida, só você trafega. Se você sai da sua estrada e vai pegar carona na estrada de qualquer outra pessoa, além de ficar na periferia da estrada do outro, porque você representa alguma interferência na estrada do outro, acontece o pior, sua estrada fica vazia, ela continua fluindo, sendo a estrada da sua vida, mas está vazia do dono, você não está presente, aquele tempo você não recupera mais.

Todos nós temos pelo menos um propósito ou missão em nossa vida, ela só pode ser desenvolvida por nós e mais ninguém. Descobri-lo, reconhecê-lo e cumpri-lo é um processo que pode levar meses, anos, ou a vida toda. Imagine um monge que cedo descobriu que sua missão é levar o conhecimento e faz isso desde os 18 anos e já tem 88 anos. Está há 70 anos cumprindo algo que o faz feliz e pleno, é uma vida inteira.

Mas precisamos nos desenvolver e amadurecer para pegar um caminho que é o nosso propósito de vida, porque isso é um caminho de adulto, quando temos que nos responsabilizar pela busca do conhecimento, pelo esforço, empenho, as dificuldades, as facilidades, as perdas, o cair e levantar, até saber como e onde pisa e se sente pleno, produtivo e desenvolvo em toda a jornada de vida, e ainda o aprendizado de curtir a jornada, se sentindo pleno de vida.

Direcionar um olhar para nosso destino é realmente viver!

Esses três movimentos, são essenciais e se entrelaçam para uma vida plena, são fundamentais, encadeados e te levam ao seu desenvolvimento pessoal, como um adulto saudável. Estar alinhado e conectado com a vida, sentindo a hierarquia de que os pais estavam em sua missão de trazer você à vida, e buscar o seu destino, seu propósito de vida e seguir responsável pelo desenvolvimento da sua vida, realmente é uma construção para todo e qualquer Ser.

Deixe seu comentário, o que acrescentou para você? Sinta-se livre para compartilhar com alguém que você sinta que precisava ler este post. 

É a nossa forma do Yoga entrar em sua vida.

30 anos vivendo o caminho do Yoga. Com formação acadêmica em Educação Física, Especializações e contínua formação em Yoga e Autoconhecimento onde baseio minha atuação profissional.

4 Comentários

  1. Gilvania disse:

    Texto maravilhoso!
    Me levou a profundas reflexões!

    • Helena Gomes disse:

      Que maravilha Gilvania! Estamos neste caminho de produzir pensadores que refletem e reproduzem! Bem-vinda! E muito obrigada.

  2. Silvana disse:

    Olá, muito bom!
    Só agradeço!
    Beijo
    Namastê!