TOMAR-O-ESSENCIAL-constelacao-familiar-helena-gomes
TOMAR O ESSENCIAL
27/03/2016
niyama-8-passos-do-yoga
Passos em direção ao Yoga – Niyama
28/03/2016

O Yoga passo a passo – uma direção, um caminho.

yama-8-passos-do-yoga

yama-8-passos-do-yoga

O Yoga passo a passo. Uma direção, um caminho

De um passo em direção ao Yoga, e o Yoga dará 10 passos em sua direção.

Uma das explicações para esta metáfora são sobre os 10 códigos de ética. São estruturas sólidas que existem em qualquer religião, e no Yoga. Este inclusive é uma dos motivos que muita gente acha que yoga é religião.

Patanjali, deu uma estrutura para jornada do Yoga. Sendo o Yoga um caminho de desenvolvimento da evolução humana, incluiu em 8 passos, como desenvolver essa jornada. A ética, consigo, com o outro, com a natureza, são conexões para você descobrir muito sobre quem você é de verdade.

Yama descreve o primeiro dos oito passos do Yoga, estruturado por Patanjali. Yama significa abstenção e está dividido em cinco passos, são questões que você tem que purificar na mente e na vida.

  • Ahimsa – não violência
  •  Satya – não mentir
  •  Asteya – não roubar
  •  Brahmacharya – não usar indevidamente o sexo
  •  Aparigraha – não possessividade

A esquerda os nomes em Sânscrito, a língua sagrada que respalda todos os ensinamentos do Yoga. A direita a tradução mais conhecida em português. Entretanto, o estudo dos códigos de ética precisam ser profundamente estudados de forma a limpar as impurezas da mente e alcançar o conceito da conscientização da realidade e o conhecimento espiritual.

AHIMSA

Nos estudos do Yoga, a não violência, ultrapassa o limite do não matar, e abre esse significado com extensão a não ser violento consigo, com os outros, com a natureza, com o planeta, os animais e plantas, etc. Além de não matar, implica em vivificar e colaborar com a vida.
A Não violência nos aproxima da nossa natureza mais profunda e nos libera da identificação com os pensamentos e emoções que formam a nossa mente. Vivemos identificados com a nossa profissão, com a nossa educação, nossa forma de pensar e agir. Na prática do Yoga, o impulso é você descobrir que essa é uma realidade que se modificar a cada dia nos impulsionando a observar a impermanência das coisas materiais, e descobrir o que permanece e que está oculto dentro de nós, é a nossa parte espiritual.

SATYA

Não mentir, mas falar a verdade, além de nos por íntegros dentro da realidade, nos permite fortalecer a nossa própria confiança e auto-estima, como a confiança dos outros em volta de nós. A força da palavra apoiada na verdade, tem um poder inigualável. A mentira cria uma irrealidade e um mundo paralelo dentro de qualquer cabeça, e depois a pessoa fica perdida numa tremenda confusão mental.

ASTEYA

Não roubar, leva nosso pensamento direto para o dinheiro, mas novamente para a realidade, somente quando fico com o que é meu é que alcanço real prosperidade. Mas roubamos muitas outras coisa, roubamos a palavra do outro, as idéias, o direito de um abraço, um elogio. O Mahatma Gandhi quando falar de não roubar, vai dentro do nosso guarda-roupa e se temos lá uma roupa que não usamos há um ou mais anos e sabemos que não vamos usar por mais alguns anos, e não doamos esta roupa, ele fala que podemos estar roubando o direito de alguém se vestir. Talvez você pense que é cultural, mas valores éticos e morais, estão além da cultura, eles falam de ampliação de consciência.

BRAHMACHARYA

Talvez ainda não alcançamos o nível de desorganização que causa ao ser humano usar o sexo indevidamente. Nos trabalhos de Renascimento, onde respiramos para liberar registros traumáticos que estão dentro das memórias celulares, vemos algumas das memórias mais desorganizantes, as que envolvem registros traumáticos em relação ao sexo, marcas que vão por toda uma vida. Esse tema se estende também em alguns estudos a não comer demais e não falar demais! Estes três aspectos são como torneiras abertas, vazando a sua energia, mas se souber o ponto, você não só absorve, como sublima a energia. Basta ver que o jejum, o silêncio e a abstinência, são largamente treinados como disciplinas de purificação dentro do Yoga.

APARIGRAHA

Estudando a não possessividade, mais uma vez somos levados a realidade da impermanência. Tudo aqui é passageiro, e vivemos as vezes toda uma vida apegados as circunstâncias, sejam físicas, materiais, emocionais ou mentais. Se estamos bem, não queremos que acabe. Se temos, não queremos perder, e assim nos enredamos nas posses. Mas o yogi, nem mesmo se apega a espiritualidade e seus efeitos, ele apenas vive, intensamente.

30 anos vivendo o caminho do Yoga. Com formação acadêmica em Educação Física, Especializações e contínua formação em Yoga e Autoconhecimento onde baseio minha atuação profissional.

Os comentários estão encerrados.